Logo
 
Bahia, quinta-feira, 1 de outubro de 2020
TWITTER CARLOS GEILSON
OUÇA JORNAL TRANSAMÉRICA
BAN UNITÉCNICA
Central de Polícia
 
 
PrintImprimir | Enviado por Carlos Geilson - 30.5.2019 | 20h40
 
Brasil

MEC é criticado após pedir que população denuncie professor que estimula protestos

Nesta quinta-feira (30), o Ministério da Educação (MEC) divulgou nota para incentivar que sejam denunciados "professores, servidores, funcionários, alunos, pais e responsáveis" que divulguem ou estimulem protestos durante o horário escolar. O posicionamento foi criticado por entidades estudantis e políticos.

Ao longo do dia, o ministério circulou ao menos dois posicionamentos contra as manifestações que foram realizadas em mais de 100 cidades do Brasil contra os cortes de verba na educação. No começo da tarde, por volta das 13h, a pasta afirmou que "instituições de ensino públicas não podem promover movimentos políticos", e que caso a população identifique a "promoção de eventos desse cunho", deveria fazer a denúncia para a Ouvidoria do MEC.
 
Mais tarde, em nota enviada diretamente a jornalistas, o ministério fez um balanço das denúncias já recebidas. "Nos últimos dias, o MEC tem recebido denúncias via redes sociais e pelo sistema e-Ouv que confirmam essas denúncias. Até o momento, a Ouvidoria do Ministério já contabiliza 41 reclamações no órgão, além de diversas interações realizadas via Facebook do MEC e pelo Twitter do ministro Abraham Weintraub".
 
O MEC não divulgou exemplos das supostas irregularidades apontadas nas denúncias. A pasta diz que a "manifestação democrática e pacífica é direito de qualquer cidadão brasileiro", mas diz que "condena práticas de coação para que estudantes e professores participem de eventos dessa natureza".
 
 
Separador
Página Inicial
Perfil
Adicionar a Favoritos
Busca
Links
 
Histórico
2020
Jan | Fev | Mar | Abr | Mai | Jun | Jul | Ago | Set |
2019
Jan | Fev | Mar | Abr | Mai | Jun | Jul | Ago | Set | Out | Nov | Dez |